Publicidade

Vikings: Valhalla comete erro grave com personagem e fãs descobrem

Vikings: Valhalla tem erro com Edmundo em seu enredo

Publicidade

A maioria das séries inspiradas em histórias reais possuem o uso da licença artística. Aliás, isso é muito famoso em Hollywood. Vikings: Valhalla, recém lançada na Netflix, faz uso de tal artefato, mas revelou algo inusitado. A verdade é que, apesar da maioria dos personagens serem baseados em figuras históricas da vida real, eles interagem com outras pessoas que nunca conheceram no mundo real. 

Um dos grandes exemplos são os personagens Freydis e Jarl. Embora os dois sejam bastante próximos na primeira temporada, não existe nenhuma indicação que eles se conheceram realmente. Claro que, temos que levar em conta que Jarl teve sua raça e gênero trocado. Mas, isso são artefatos que os escritores utilizam para entreter o espectador.

Publicidade

Mas essa não é a única mudança que Vikings: Valhalla proporcionou. A verdade é que, o rei Edmund II – também conhecido como Edmund Ironside – teve mudanças em relação a sua abordagem. A série retrata fielmente a forma com a qual, Edmundo ascendeu ao trono inglês desde a morte de seu pai Æthelred II, em 1016.

Além disso, liderou seu país por cerca de sete meses até sua morte prematura. É a partir daí que surgem as diferenças entre Edmund da vida real e Edmund em Vikings: Valhalla.  

Publicidade

Edmund liderou uma revolta contra seu pai

No segundo episódio da 1ª temporada de Vikings: Valhalla, vemos Edmund pela primeira vez. Ele ora ao lado da cama de seu pai, quando a vida do mesmo chega ao fim. Já no episódio 3, ele assume a mesma posição na frente do corpo do pai, um pouco antes do enterro. 

Apesar das cenas serem demonstrações tocantes de amor e tristeza, é provável que nenhuma delas aconteceu na vida real. O looper detalha que, a história indica que a relação entre o pai e filho nunca foi particularmente próxima. 

Publicidade

Os fatos são mostrados a partir de 1015. Nesse período, Æthelred II ordenou que a viúva de um inimigo recentemente assassinado, fosse presa em um mosteiro. Foi então que Edmund decidiu que no último ano de vida de seu pai, teria a oportunidade de causar uma revolta em seu reino. 

Ao invés de permitir que a viúva ficasse no mosteiro, Edmund casou-se com ela, se apossou das terras de seu ex-marido e se autointitulou Conde de East Midlands. Isso foi um desafio direto ao testamento de seu pai.

Publicidade

Após alguns meses, Edmund voltou a Londres diante de uma crescente invasão viking liderada pelo Rei Canute. Embora seja possível que Edmund tenha se reconciliado com seu pai e os fatos de Vikings: Valhalla tenham ocorrido, isso parece improvável. Principalmente, por causa das atitudes do jovem. 

Vikings: Valhalla tem Edmund diferente

Publicidade

Quem já assistiu Game Of Thrones e parte para assistir a nova produção da Netflix, encontra uma semelhança. Edmund é retratado na série como uma espécie de Joffrey Lannister. No entanto, essa comparação na vida real do personagem não é legítima. 

Ainda no terceiro episódio, Edmund insiste em mostrar suas habilidades de luta com espadas. O rei derrota vários membros de seu próprio exército, e luta para responder a Earl Godwin. Claro que o personagem mostra uma excessiva confiança, mas é inexperiente em combate e diplomacia, o que resulta em um grande erro na Batalha de Assandun no quarto episódio.

Leia também:

>Tudo sobre a 2ª temporada de Vikings Valhalla

Publicidade

Entretanto, na vida real Edmund era tão conhecido por sua bravura em várias batalhas contra os vikings que recebeu o apelido de “Ironside”. Além de liderar seus exército na tentativa de frustrar soa avanços de Canute, algumas fontes afirmam que Edmund também lutou contra uma invasão viking anterior, liderada pelo pai de Canute, Sweyn Forkbeard. 

Claro que, Vikings: Valhalla também mostra a verdade sobre o personagem. Edmund perdeu a batalha de Assandun em outubro de 1016, mas venceu quatro outras batalhas anteriores.

Publicidade

Edmund não era mais jovem que Canulte

Vikings: Valhalla tem erro com Edmund
Imagem: Divulgação/Netflix

Outra imprecisão histórica apontada na série é que Edmund dificilmente seria tão jovem quanto a série apresenta. Certamente, ele era novo na época de sua ascensão, principalmente pelos padrões modernos, mas algumas mudanças foram feitas por conveniência narrativa. 

Publicidade

Sweyn Forkbeard chama Edmund de “menino rei”  na 1ª temporada. No entanto, os registro mostram que Edmund nasceu na mesma época que o rei Canulte. Claro que, alguns dos registros podem ter irregularidades, mas, tudo indica que houve uma imprecisão histórica.

Segundo alguns historiadores, a diferença entre Canult e Edmund era de apenas 5 anos. Certamente, Edmund nasceu em 990 e em 1015, apenas alguns meses antes de assumir o trono, já era casado Ealdgyth e pai de um filho, Edmund Ætheling.

Ainda existem relatos de que, o segundo filho, Eduardo, tenha nascido em algum momento de 1016. Mas, não é possível afirmar se o nascimento ocorreu antes ou depois da morte de Edmund. Aliás, foi somente após sua morte que Canulte se tornou o rei da Inglaterra, incluindo Wessex, e mudou para banir os membros sobreviventes da família de Edmund, incluindo seus dois únicos descendentes.

Então, você já assistiu Vikings: Valhalla ? Aproveite para assistir:

Certamente, você também vai gostar:

>Manifest: Netflix revela data de estreia da 4ª Temporada

Aliás, não deixe de acompanhar o Streamings Brasil, também via Youtube.