Tin e Tina tem história real? A verdade por trás do filme

A verdade por trás de Tin e Tina

- Publicidade -

Tin e Tina da Netflix, é um filme espanhol dirigido por Rubin Stein, marcando sua estreia na direção de longas-metragens. O filme conta com Milena Smit (The Girl in the Mirror) e Jaime Lorente (La Casa de Papel) nos papéis principais. O thriller psicológico gira em torno do casal Lola e Adolfo que, após a morte de seus gêmeos ainda não nascidos, adotam duas crianças assustadoras de um convento local.

- Publicidade -

No entanto, a vida do casal muda drasticamente quando o fanatismo religioso dos filhos levam a acontecimentos perturbadores. Dado os eventos angustiantes, mas emocionalmente fascinantes de Tin e Tina, os fãs devem estar procurando detalhes sobre sua inspiração. Se você está se perguntando se o longa se baseia em fatos reais, logo abaixo vamos deixar tudo o que você precisa saber sobre o filme.

Tin e Tina se baseia em uma história real?

Não, o filme não se baseia em uma história real. Na verdade, o filme tem inspiração em um curta-metragem do próprio Rubin Stein lançado em 2013 com o mesmo nome. Stein adaptou o curta em um roteiro de longa-metragem que conta uma história fictícia. Ambas os conteúdos giram em torno de dois gêmeos órfãos criados em um ambiente super religioso.

- Publicidade -

Em uma entrevista, o diretor de Tin e Tina falou sobre a origem do conceito do filme e detalhou como ele moldou a narrativa. Segundo Stein, o conceito surgiu a partir de suas experiências pessoais de infância, principalmente com a religião católica. O diretor revelou que, quando criança, leu a Bíblia e descobriu seus textos complexos.

Ele encontrou passagens aterrorizantes na Bíblia complementadas com imagens perturbadoras. Isso fez com que Stein, diretor de Tin e Tina, tivesse pesadelos quando criança. No entanto, quando ele cresceu e releu a Bíblia, percebeu que seus sentimentos de terror vinham parcialmente derivados de sua inocência infantil.

- Publicidade -

Publicidade

Como resultado, ele procurou fazer um filme que combinasse inocência infantil com religião e horror.

Filme tem experiências na infância com a Bíblia de criador

Em uma outra entrevista, Stein revela que o conceito do longa era derivado de seus pensamentos sobre um Deus tirânico e traduziu suas interpretações infantis da Bíblia e o medo resultante na história do filme. O diretor afirmou que o principal foco de Tin e Tina gira em torno da religião e explora o mistério da existência ou não de Deus e os mecanismos que ativam e desativam a fé.

- Publicidade -

O mesmo é representado na história através dos personagens principais, Lola e Adolfo, e dos gêmeos titulares, que possuem diferentes níveis de crenças religiosas. Stein também explora os efeitos adversos de seguir os textos da Bíblia no sentido literal, levando ao fanatismo religioso. Mas, no filme, vemos isso por meio das situações dos personagens e suas decisões diante das adversidades.

Por sua vez, a premissa básica de Tin e Tina mostra dois adultos sendo submetidos a uma sequência perturbadora de eventos por parte das crianças.

Outros temas para criar Tin e Tina

- Publicidade -

Tin e Tina tem história real?
Imagem: Divulgação/Netflix

O conceito lembra o filme de terror espanhol de 1976, “Quem Pode Matar uma Criança?”, dirigido por Narciso Ibánez Serrador. Stein citou o filme como uma grande inspiração para o seu longa.

Ele também disse que “The Innocents”, de 2021, dirigido por Eskil Vogt, e “Boa Noite, Mamãe!”, de 2014, dirigido por Veronika Franz e Severino Fiala lhe inspiraram igualmente. No entanto, o diretor observou que queria enraizar o filme mais no mistério do que no horror. Em última análise, o longa não tem base em uma história real. Trata-se de uma história fictícia que explora o tema religião.

- Publicidade -

Assim, ele também aborda os aspectos complexos da religião e do fanatismo através das lentes da inocência infantil. Os temas instigantes são equilibrados com horror e mistério que forçam os espectadores a examinar a natureza da fé. Tin e Tina também aborda a relação entre os pais e seus filhos adotivos usando-a como núcleo emocional da narrativa para envolver o espectador.

Certamente, você também vai gostar:

> Stranger Things 5 ​​tem um grande problema de história

Aliás, não deixe de acompanhar o Streamings Brasil, para não perder nada da série.