The Last Of Us: Revelada a origem da infecção e vírus

A origem da infecção de The Last of Us

- Publicidade -

O 1° episódio de The Last Of Us contém um grande elemento esperado dos jogos: O surto da infecção cerebral por Cordyceps. Ao mesmo tempo, o episódio revela as origens da doença que o material de origem apenas mencionou. Baseada no jogo do mesmo nome, a série conta a história de Joel e Ellie. 

- Publicidade -

The Last of Us consegue unir os dois sombreviventes improváveis no mundo pós-apocaliptico dos Estados Unidos. Todo o mundo acabou acometido por uma doença conhecida como infecção cerebral por Cordyceps. Logo na cena de abertura do 1° episódio, dois cientistas são mostrados em um programa de entrevista da década de 1960. 

Na entrevista, eles debatem sobre o que eles acham que pode representar a maior ameaça à existência da humanidade. Com isso, um dos cientistas afirma que acha que infecções fúngicas podem comprometer o destino da humanidade em relação a bactérias e vírus. 

Tal cena da série de The Last Of Us, aprofunda na infecção por Cordyceps de uma forma que o jogo não fez. Ou seja, conta um pouco mais de suas origens além do que já vimos no jogo de Playstation.

- Publicidade -

O que são os fungos Cordyceps em The Last of Us

Tanto no mundo real, quanto no mundo de The Last Of Us, Cordyceps é um gênero de fungos com mais de 600 espécies diferentes. A maioria das variantes de Cordyceps são de natureza parasitária e atacam principalmente insertos. 

- Publicidade -

Publicidade

Cordyceps são amplamente encontrados na Ásia e prosperam em ambientes de selva tropical com temperaturas úmidas. O 1° episódio da série mostra que os Cordyceps começou a infectar humanos por volta de 2003 e os tornou voláteis. 

Com isso, procuram apenas espalhar o fungo infectando outros humanos. Com isso dizimou a humanidade em todo o mundo. Além disso, significou que todos os que sobreviveram foram encurralados em zonas de quarentena militar na linha do tempo futura e que devemos ver no episódio 2

Outro ponto importante é que, no 1° episódio  de The Last Of Us é revelado por Tommy. O irmão de Joel afirma que são principalmente as pessoas da cidade que foram afetadas pelo surto. Isso provavelmente pode vir de um meio semelhante de infecção que os jogos introduziram.

- Publicidade -

Vírus surgiu na América do sul no jogo

No jogo, devido a colheitas contaminadas que continham o vírus espalhado pelo mundo, a infecção chegou aos humanos. No entanto, o jogo afirma que o Cordyceps se originou na América do Sul, mas, o Cordyceps da vida real originou em uma grande parte da Ásia. Por isso, a mudança faz sentido. 

Por fim, vale lembrar que no início da série é informado que alguns distúrbios contínuos foram vistos em Jacarta. A cidade é confirmada por Sarah como a capital da Indonésia. Por sua vez, o país está localizado na região sudeste da Ásia, o que significa que The Last of Us, da HBO, poderia adicionar cenas importantes para mudar isso. 

- Publicidade -

Dessa maneira, o surto inicial começou na Ásia, onde o Cordyceps são mais comumente encontrados. Isso faria sentido tanto em termos de fatos do mundo real, quanto no mundo da série. Esse presságio subliminar no rádio de Joel e Sarah. 

Aquecimento Global foi o responsável pelo vírus em The Last Of Us

A mencionado cena de abertura do 1° episódio estabelece como o vírus Cordyceps começou a infectar humanos. No entanto, isso não fica explicado como ocorre no jogo. O cientista que acredita que as infecções fúngicas podem ser perigosas para os humanos.

- Publicidade -

Entretanto, se depara com a informação de que a maioria das infecções por fungos não sobrevive em temperaturas mais quentes do corpo humano. Isso explica por que a maioria de infecções atinge insetos e outros artrópodes devido à sua natureza de sangue frio.

Contudo, o cientista  – que é um personagem original da série de The Last of Us – afirma que, se o mundo esquentar como um todo, os fungos também sofrerão mutações. Isso ocorre devido ao aumento hipotético – pelo menos em 1968, das temperaturas gerais da terra. 

The Last of Us: Entrevista tem grande revelação
Imagem: Divulgação/HBO Max

Com isso, os fungos como o Cordyceps poderiam evoluir para sobreviver a temperaturas mais altas. Assim que o 1° episódio avança para 2003, ocorre o surto de Cordyceps. À princípio, no período entre 1968 e 2003, a terra esquentou o suficiente devido ao aquecimento global para permitir que o gênero Cordyceps sofresse uma mutação e começasse a infectar humanos. 

Isso faz com que a infecção por Cordyceps afete os humanos em escala global, de maneiras que tanto a série da HBO Max quanto o jogo original deixam claro. 

O que o jogo explica sobre o vírus

Em termos dos jogos originais, The Last of Us Parte I não explica que o gênero Cordyceps sofreu uma mutação devido ao aquecimento global. Seja como for, o jogo explica as origens da infecção como a mutação do Cordyceps presente em culturas como trigo e outros produtos alimentícios.

Esses itens contaminados foram enviados para todo o mundo, com os humanos que os comeram sendo infectados pelo parasita. Um jornal que pode ser encontrado na casa de Joel e Sarah diz que as taxas de infecção aumentaram 300% devido às colheitas importadas da América do Sul.

Porém, após o surto inicial em 26 de setembro de 2003, aproximadamente 60% da humanidade foi infectada com a infecção cerebral por Cordyceps ou morta por ela. Uma coisa em que ambos os jogos de The Last of Us se aprofundam é como a infecção afeta os humanos. 

Os estágios de infecção em The Last Of Us

The Last Of Us: Confirmação Cordyceps
Imagem: Divulgação/HBO Max

Os jogos revelam que o vírus Cordyceps tem quatro estágios de gravidade. O primeiro estágio, que começa a aparecer em humanos 24 a 48 horas após o primeiro contato com o Cordyceps. Este, afirma que os humanos infectados perdem completamente a função cerebral superior e a humanidade. Isso faz com que o paciente se torne hiperagressivo, incapaz de qualquer pensamento racional que já teve.

A segunda fase da infecção começa duas semanas após a infecção inicial. De acordo com os jogos, o estágio dois vê o crescimento de fungos começando nas cabeças das vítimas, alterando sua visão através da corrupção do córtex visual. 

Logo após um ano da infecção, diz-se que o estágio três do vírus se instala. O estágio três é quando o Cordyceps cega totalmente seu hospedeiro, com o referido hospedeiro desenvolvendo uma forma de ecolocalização para compensar sua falta de visão, tornando-se os Clickers (estaladores) icônicos de The Last of Us.

O estágio quatro, embora considerado cada vez mais raro no mundo, ocorre mais de uma década após a infecção inicial. Por sua vez, os humanos infectados ganhando placas endurecidas de fungos por todo o corpo, tornando-os quase impenetráveis.

Depois que o hospedeiro é morto, os fungos criam projéteis que podem liberar esporos infecciosos de Cordyceps no ar. Esses esporos são uma das formas de transmissão aérea da infecção, e os sobreviventes precisam usar máscaras de gás para evitar isso.

Ao passo que, a outra forma primária de infecção vem de mordidas. Devido à natureza mais volátil dos humanos infectados, eles procuram espalhar o vírus mordendo humanos não infectados. 

Então, você sabia da origem em The Last Of Us?

Certamente, você também vai gostar:

> Smallville:Revelado como Lana poderia ter continuado na cidade

Aliás, não deixe de acompanhar o Streamings Brasil, afinal, aqui você não perder nada da série.