Publicidade

The Last of Us: Os fungos Cordyceps são reais? Entenda

A verdade sobre os fungos de The Last Of Us

Publicidade

O catalisador para os eventos de The Last of Us é a infecção cerebral por Cordyceps, que cria os infectados na série. Isso é algo que leva o público a se perguntar se os fungos são reais ou não. O primeiro episódio da série começa com dois cientistas debatendo sobre a maior ameaça à humanidade na década de 1960.

É neste momento que um deles afirma que os fungos são ameaças maiores à humanidade do que vírus ou bactérias. A série então avança para 2003, seguindo a vida de Joel, Tommy e Sarah Miller no Texas. Logo nos primeiros minutos, o primeiro episódio de The Last of Us prenuncia a infecção que está prestes a assolar a humanidade.

Publicidade

A partir daí, vemos Joel, Tommy e Sarah presenciar o início do surto. Já a linha do tempo de 2023, a série começa com Joel e Tess vivendo na zona de quarentena de Boston depois que o surto de Cordyceps dizimou a humanidade em todo o mundo.

Devido ao intenso realismo, tanto do jogo quanto da série de The Last Of Us, é mais do que esperado o público querer saber se o fungo é real ou não. 

Publicidade

Os fungos Cordyceps de The Last Of Us são reais? 

A resposta é sim! Os fungos Cordyceps são reais. Os fungos Cordyceps têm mais de 600 espécies diferentes e possuem a mesma natureza parasita apresentada em The Last of UsContudo, no mundo real, os Cordyceps são conhecidos por infectar principalmente insetos e outros artrópodes.

O fungo pode prejudicar seriamente e até matar seus hospedeiros. A maioria das cepas de Cordyceps do mundo estão concentradas na Ásia e prosperam em ambientes de selva e climas quentes. Os Cordyceps reais são conhecidos por infectar principalmente insetos no mundo real.

Publicidade

Desta forma, fica a dúvida de como a série faz para que os fungos infectem humanos no programa. Bom, se você prestar atenção em detalhes, vai perceber que isso foi explicado na cena de abertura da série. Os dois cientistas que estão debatendo sobre esse assunto dão a resposta: aquecimento global.

O segredo é o aquecimento global

Publicidade

É explicado pela dupla de cientistas no início de The Last Of Us que a maioria das infecções fúngicas que afetam os insetos não podem sobreviver às temperaturas quentes do corpo humano. O cientista principal que fala sobre o assunto então é questionado como ele vê a infecção fúngica como a maior ameaça para a humanidade.

O homem diz então que se a Terra como um todo, esquentar, o fungo poderia evoluir para sobreviver a temperaturas mais altas. O fungo poderia então suportar as temperaturas do corpo humano. Esta é uma nova adição à série da HBO Max e explica porque a infecção cerebral por Cordyceps começou.

Publicidade

The Last of Us: A origem dos fungos cordyceps
Imagem: Divulgação/HBO Max

Isso quer dizer que na linha do tempo do cientista até 2003, quando vemos Joel, Sarah e Tommy pela primeira vez, o fungo sofreu mutação. O que quer dizer que agora ele pode infectar humanos, dando início ao surto mostrado em The Last of Us.

É claro que até o momento nenhum cientista ou entidade divulgou alguma coisa sobre a possibilidade dos Cordyceps infectarem humanos na vida real. Por outro lado, não podemos esquecer que a Terra já está passando pelo fator que faz a infecção ser possível: o aquecimento global.

Portanto, se vivêssemos na realidade, provavelmente já estaríamos a caminho de um surto de Cordyceps. Mas claro, isso são apenas suposições. Você pode conferir mais como seria um mundo infectado por Cordyceps na série, que vai ao ar todos os domingos na HBO Max.

Publicidade

Certamente, você também vai gostar de:

> Round 6: Gi Hun sobreviverá a mais um jogo?

Publicidade

Aliás, não deixe de acompanhar o Streaming Brasil, para não perder nada da série.