Publicidade

Periféricos: Entenda a linha do tempo da série

Periféricos acontece em muitas linhas do tempo diferentes

Publicidade

Periféricos é uma série de ficção científica de grande sucesso do Amazon Prime Video, que revela uma história que se desdobra por décadas, transformando a linha do tempo da série bastante confusa. Grande parte do enredo ocorre em 2032 ou 2100, com Flynne Fisher e outros de 2032 aptos a visitar o futuro por meio da tecnologia de tunelamento quântico de 2100.

A viagem no tempo do programa deixa as pessoas em um tempo anterior programarem sua consciência no futuro. Em Periféricos, aqueles que estão no futuro não podem vivenciar o mundo físico do passado em primeira mão, no entanto, eles poderão se comunicar com pessoas de tempos anteriores.

Publicidade

A série não deixa os paradoxos de causalidade que acabam com muitas histórias no tempo, apontado desde o início que as comunicações do futuro para os anos passados formam linhas alternativas ramificadas. Dessa forma, enquanto a sua linha do tempo permanece perfeita, os personagens da era futura podem se divertir com o passado e não precisam se preocupar em atrapalhar sua própria realidade.

O Instituto de Pesquisa do Futuro faz referências aos cronogramas ramificados como “tocos”, e o cenário anterior do programa em 2032 encontra-se, de fato, em algum desses Stub. Então vamos apresentar a linha do tempo de Periféricos completa para vocês.

Publicidade

Década de 2020 ou anterior – Nascimento da Linha do Tempo do Stub em Periféricos

A primeira temporada de Periféricos ainda não divulgou o momento em que Research Institute of 2100 faz a alteração na linha do tempo de Flynne, Burton e Conner. Contudo, pelo que foi visto nos primeiros seis episódios, deve ter acontecido antes de 2028.

No episódio 5 “What About Bob?” da primeira temporada da série, Grace diz a Flynne o bastante para implantar tecnologia háptica futurística nos corpos dos soldados até 2028. Assim, essa linha do tempo do Stub dividiu-se da linha do tempo principal no princípio e no meio da década de 2020, ou antes disso, dependendo do momento em que o Instituto de Pesquisa Periféricos fez sua primeira incursão no passado.

Publicidade

2028 no Stub

O episódio 6 da primeira temporada da série mostra Burton, Conner, Macon e outros combatendo em uma guerra no Texas no ano de 2028. Todos os soldados possuem os implantes hápticos do Instituto de Pesquisa, logo a cena está na linha do tempo do stub.

Publicidade

Eles mencionam os texanos como seus inimigos, portanto, é conveniente dizer que a América está causando uma guerra civil nesse tempo. Na cena, Conner perde seus membros em 2028 por causa dos experimentos comportamentais do Instituto de Pesquisa.

2032 no Stub

Publicidade

Periféricos: Entenda a linha do tempo da série
Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

A principal ação do Stub na linha do tempo de Periféricos acontece em 2032 em Clanton County, Carolina do Norte. O Instituto de Pesquisa e mais as demais facções de 2100 se intervém livremente na realidade de Flynne, Burton e Tommy em 2032, influenciando eventos, mandando dinheiro para criar empresas e contratar assassinos, além de distribuir tecnologia militar e curas médicas do futuro.

A guerra finaliza antes de 2032, e Burton e os demais veteranos sentem efeitos colaterais dolorosos por causa de seus implantes hápticos. As cenas de 2032 da série apresentam tecnologia futurista enxertada em um mundo plausível em um futuro próximo.

2039 na linha do tempo inalterada

Publicidade

O episódio 4 “Jackpot” da primeira temporada de Periféricos, exibe Wilf e Ash esclarecendo o apocalíptico ” Jackpot ” e sua consequência na humanidade. Os personagens do século 22 se recordam desses acontecimentos como um pedaço da sua própria história, por isso eles acontecem na linha do tempo inalterada em vez de Stub.

Muitos ataques hackers causam blackouts de energia por todo o continente que ficam meses e atingem a civilização em todo o mundo. Os historiadores do futuro intitulam isso de era do “penhasco”, momento em que o jackpot se torna irreversível.

Publicidade

2041 na linha do tempo inalterada

Agora no episódio 4 de Periféricos também afirma que uma pandemia acaba com a terra em 2041 e abala ainda mais a sociedade humana. A Peste Sanguínea é um filovírus que provoca a febre hemorrágica viral. Ele atinge os órgãos internos e provoca sangramento interno até que o abdome estoure.

Os anos 2040-2080 na linha do tempo inalterada

Publicidade

Anos de desastres afligem a humanidade na metade do século XXI. Wilf relata catástrofes ambientais, secas, fome e falha de antibióticos. Resultando no colapso agrícola e o colapso total da população. No episódio 4 “Jackpot” da primeira temporada da série a cena tem poucos detalhes. Apesar disso, Ash diz a Flynne que morreram mais de 7 bilhões de pessoas na linha do tempo inalterada ao longo de quatro décadas.

A década de 2080 na linha do tempo inalterada

Sem estabelecer uma data específica, Ash diz a Flynne no episódio 4 “o fim” de Periféricos vem com um ataque terrorista a um silo de míssil nuclear em Spring Creek, Carolina do Norte. Flynne fica offline para que Wilf e Ash fale a ela qualquer outra coisa.

No entanto, a apresentação do episódio 4 para Flynne dá fortes indícios que mais armas nucleares serão explodidas. Então isso aparenta ser o Nadir das calamidades cujo os personagens de 2100 fazem a reconstrução da civilização humana.

Os anos 2080-2090 na linha do tempo inalterada

Em uma cena anterior do episódio 4 “Jackpot” da série, relembra o que acontece após Jackpot e conta a realpolitik do status quo de 2100. Três instituições líderes dividem o poder no mundo pós-Jackpot em Periféricos. A ordem é restaurada e mantida pela oligarquia Kelpt através de grande violência. Em compensação, a sociedade aceita que eles acumulem riqueza relativamente livre de regulamentações.

A Met Police de Londres limita o excesso de alcance dos Klepts, e o Research Institute cria a tecnologia necessária para o desempenho da civilização. A população humana é destruída, e “Wolf” e Aelita sobrevivem juntos como crianças nas ruas até que fossem adotados como irmão e irmã.

A década de 2090, um ano antes do desaparecimento de Aelita na linha do tempo inalterada

As experiências do Instituto de Pesquisa em cronogramas de stub continuam em pleno andamento em Periféricos. Aelita trabalha lá no Departamento de Grãos e Leguminosas no momento em que Grace a acompanha até a Fonte Divina e esclarece os experimentos do toco para ela. Ela se espanta porque as cobaias no esboço são pessoas reais, então ela inicia um plano para salvar o esboço de Flynne.

2099 na linha do tempo inalterada

Periféricos: Entenda a linha do tempo da série
Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

Aelita está em fuga em 2099, e Wilf presta serviços para a família Klept de Lev Zubov. Ela fala para Wilf que está tentando salvar um mundo, porém não é o mundo deles. Assim, Aelita já possui um Periférico que assume a forma de sua infância. A Londres do futuro está repleta de hologramas para camuflar a devastação, simular a população destruída e encenar batalhas navais.

2100 na linha do tempo inalterada

Com o esboço de 2032, a maioria dos acontecimentos da série ocorreram em Londres em 2100. Nos seis primeiros episódios o mundo de 2100 não aparece, a não ser Londres. Em 2100, Aelita começa um contato com Flynne, e o Instituto de Pesquisa de 2100 executa um golpe contra Flynne e Burton na dark web de 2032.

No momento em que Burton, Conner e Flynne vão para o futuro de Periféricos por meio dos headsets VR do século 22, eles habitam os periféricos em 2100.

Certamente, você também vai gostar:

Top 10 Netflix: As melhores séries que chegam em Dezembro

Aliás, não deixe de acompanhar o Streamings Brasil, para não perder nada da série (Via ScreenRant).