O poço – Final explicado do filme espanhol da Netflix

21109
Publicidade

A Netflix trouxe para o Brasil o filme espanhol de O Poço, e muita gente não entendeu a mensagem que o longa tenta passar. O filme, na verdade estreou nos cinemas espanhóis em 2019, mas a temática não podia ser mais atual. Pensando nisso, separamos o final explicado de O poço, para você entender tudo.

Lembrando que esse artigo contém spoilers do final do filme e caso ainda não tenha assistido até o final, vale a pena assistir primeiro.

Publicidade
O poço Final explicado
O poço Final explicado

Chamado El Hoyo em espanhol, este thriller de ficção científica é do diretor Galder Gaztelu-Urrutia e estreou no Toronto Film Festival em 2019. Ecoando o perturbador filme de ficção científica de Vincenzo Natali, O cubo , O poço não é para os fracos de coração. Há muito sangue, há canibalismo, há fezes … Basicamente, qualquer coisa que você possa pensar que seria difícil de ver com seus olhos está neste filme.

O enredo de O poço

Nosso protagonista é um jovem chamado Goreng (Iván Massagué) que acorda em uma cela de cimento com um buraco retangular no centro. Seu colega de quarto, Trimagasi (Zorion Eguileor), explica que ele está em uma prisão vertical e todos os dias “a plataforma” desce pelos pisos da prisão, carregando as sobras de uma refeição extravagante dos ricos do lado de fora. Ele faz uma pausa por apenas alguns segundos, e os prisioneiros devem comer o máximo que puderem enquanto estiver lá. Tente levar qualquer comida para levar, e você será punido – a sala ficará insuportavelmente quente ou insuportavelmente fria.

Quando a plataforma atinge o nível de Goreng e Trimagasi, 48 anos, a comida já foi apanhada – tudo está mordido, e apenas restos de comida. Mas Trimagsi promete a Goreng que é um bom nível. Os pisos abaixo deles (menor espaço e maior número) não recebem nada. Ficamos sabendo que Goreng chegou ao buraco voluntariamente por seis meses, em troca de um diploma credenciado, mas é claro que ele não tinha ideia de quão horrível era a prisão. Cada prisioneiro traz consigo um objeto e Goreng trouxe um livro: Dom Quixote, de Miguel de Cervantes. Trimagasi trouxe uma faca.

Os meses subsequentes no Poço

Todo mês, os prisioneiros são gaseados e trazidos para um novo nível. Na primeira vez que isso acontece, Goreng acorda amarrado no nível 171. Trimagasi calmamente explica a ele que é inevitável que eles se voltem um contra o outro nesse nível e, embora ele não queira machucar Goreng, ele se despirá. pedaços de sua carne para comê-lo e permanecer vivo. Goreng, é claro, está horrorizado, mas ele é salvo por Miharu (Alexandra Masangkay), uma mulher que perdeu a cabeça e monta a plataforma para níveis mais baixos, procurando seu filho perdido que pode ou não existir e assassinando pessoas. (No nível 48, Goreng defendeu Miharu quando os homens a estavam atacando.) Miharu corta Goreng livre, Goreng mata Trimagasi e sobrevive ao mês comendo sua carne podre.

No mês seguinte, Goreng acorda no nível 33 com uma nova colega de quarto chamada Imoguiri (Antonia San Juan), que trouxe seu cachorro como seu único objeto. Imoguiri é um oficial de algum tipo, que inicialmente selecionou Goreng para se juntar à prisão. Ela jura para Goreng que não tinha ideia de como era realmente a prisão, mas que ela pretendia ser um experimento de “solidariedade espontânea”. Ela afirma que existem 200 níveis e, se todas as pessoas levassem sua parte justa de alimentos racionados, todos na prisão seriam alimentados. Todos os dias, ela pede aos prisioneiros abaixo no nível 34 que comam apenas a ração que lhes é atribuída e repassem a mensagem para o nível 35. Eles se recusam a ouvir – até Goreng ameaça cagar na comida e obedecem. Imoguiri diz que a próxima coisa a fazer é convencer as pessoas nos níveis mais agradáveis ​​a racionar também.

Publicidade
O poço
O poço final explicado do filme

O novo mês

No mês seguinte, Goreng acorda no pior nível ainda: 202. Imoguiri se enforca, Goreng come seu corpo e o mês passa em um sonho febril. Um mês depois, Goreng acorda no nível 6 com um novo colega de quarto, Baharat (Emilio Buale Coka). Baharat está feliz por estar em um nível tão bom, porque ele acredita que isso significa que ele será capaz de escapar com seu objeto: uma corda. Mas os prisioneiros no nível 5 se recusam a ajudar e, em vez disso, defecam em seu rosto.

Como Baharat muda a perspectiva de Goreng

Goreng convence Baharat a ajudá-lo com um plano de descer na plataforma e distribuir a comida de maneira justa, forçando os prisioneiros a racionar. Ele e Baharat fazem armas improvisadas de seus quadros e montam na plataforma. Eles decidem não dar rações aos 50 primeiros níveis, que já estão comendo bem. Os prisioneiros não gostam disso. “Um messias distribuía pães, não tirava da boca”, grita um deles.

Goreng e Baharat ameaçam violentamente as pessoas longe da comida, até Baharat encontrar um velho sábio que lhe diz que ele deve primeiro tentar ser educado antes de recorrer à violência. Ele também diz que eles precisam de um símbolo para o seu movimento – algo para enviar uma mensagem. Ele diz que eles precisam enviar um prato de luxo que volta intocado ao nível 0. Esse prato é a panna cotta, uma sobremesa italiana, que eles devem preservar a todo custo. Eles decidem tentar e continuar a descer.

Goreng inicialmente estimou que havia cerca de 250 níveis na prisão, número que alcançou contando o número de segundos necessários para a plataforma voltar enquanto estava no nível 202. No entanto, eles logo descobrem que, se ninguém está vivo no nível, a plataforma não para. Mas, isso significa que há mais níveis do que Goreng antecipou.

Como termina O poço – O final explicado

A plataforma finalmente para definitivamente no nível 333, o último nível, onde há uma criança escondida embaixo da cama. Goreng e Baharat saem da plataforma para ajudá-la, panna cotta na mão, e a plataforma sai sem eles. Normalmente, o fato de terem a panna cotta ainda significa que a sala ficaria insuportavelmente quente ou fria, mas não. Presos no nível 333, eles dão à criança a panna cotta para comer. Depois de alguns instantes, a plataforma dispara para o topo da prisão sem eles.

Baharat decide que a criança é a nova mensagem – ou talvez Goreng tenha sonhado isso. Eles são fracos e feridos de lutar contra os prisioneiros. Quando Goreng acorda, ele encontra Baharat desmaiado em uma poça de sangue, aparentemente morto. No dia seguinte, quando a plataforma chega, Goreng entra com a criança. A plataforma desce para um vazio e para, onde Goreng tem uma conversa imaginária com Trimagasi. Trimagasi diz a Goreng que sua jornada terminou, porque ele não é a mensagem, e a mensagem não requer portador. Goreng concorda e sai da plataforma para se juntar a Trimagasi na morte.

Entretanto, a criança fica na plataforma e dispara em direção ao topo do buraco na plataforma, e o filme termina.

Qual é o significado final do filme ?

Embora eu não conheça o diretor Galder Gaztelu-Urrutia e os roteiristas David Desola e Pedro Rivero, é claro que a prisão e a plataforma são uma metáfora do capitalismo. Se ao menos os prisioneiros concordassem em trabalhar juntos e racionar seus recursos – como, digamos, em uma sociedade socialista democrática – todos seriam alimentados. Em vez disso, é uma sociedade capitalista que leva tudo, que deixa as pessoas no fundo morrendo e se comendo. 

Além disso, Goreng eventualmente consiga convencer as pessoas de baixo de que a mudança é possível, é muito mais difícil convencer as pessoas de alto nível a se importarem. O final deixa em aberto se a mensagem será suficiente para convencer as pessoas no topo a mudarem de atitude. Goreng fez tudo o que pôde. Está tudo em suas mãos agora.

E você ?  O que achou do longa ?

Leia também:

+Removidos Netflix da semana – 23 a 29/03

Publicidade

16 COMENTÁRIOS

  1. Filme onde o diretor não conseguiu fazer um final? Quando assisto um filme goste de ver o final e este….
    Francamente, e o mesmo que parar de assistir no meio do filme.
    Ficou mais ruim ainda o filme

    • O filme é interessante , prende a gente, mais o final …. Não é difícil de entebder, porém esperava vê os caras sendo livres depois de tanto sufoco kkkk

      • A matéria acima fala que o poço é um modelo capitalista mas está totalmente errada.
        O poço é exatamente o modelo comunista. Alguém no topo se servindo do bom e do melhor enquanto os de baixo ficam com as sobras. Se fosse capitalista, os de baixo teriam a chance de subir através de seu esforço e aqueles de cima que fossem incompetentes com certeza estariam nos níveis mais baixos mas mesmo assim, ainda poderiam se esforçar e alcançar níveis melhores.

  2. E como a menina estando num nível tão abaixo, por 1 mês, pois é o tempo que ficavam, sobreviveu? Ela não recebia nunhum alimento e estava bem Pq ela era uma mensagem? Final de filme péssimo, até a questão de capitalismo e socialismo democrático, ate ai deu pra entender. Mas o final, aff. O cara tb lutou pra caramba para viver e desce da plataforma. Na minha opinião ele deveria subir com a menina. Só acho.

  3. De verdade estava bom mais o final não me surpreendeu deveria ter acabado diferente e não como acabou decepcionando

  4. Deu pra entender bem a mensagem passada no filme mas o problema é que o final ficou a desejar… Todo mundo queria ver a chegada da menina ao topo pra ver o que aconteceria. Esse diretor foi muito idiota por não nos mostrar esse final. Agora se disser que terá uma continuação até da pra entender.

  5. Filme muito bom até o meio pq o final ficou meio que sem graça . So mostrou que nao importa se vc e filho de uma puta ovo mocinho tudo da merca kkk

  6. – O filme propõe que a solução civilizatória é o socialismo igualitário. Já sabemos no que isso resultou na União Soviética, na China de Mao, em Cuba. Os apaixonados da distopia socialista/comunista vão adorar o aceno pseudodemente libertário do filme espanhol. Para esse eu recomendo lerem ARQUIPÉLAGO GULAG, nas quase 700 págs vemos que o sadismo e a crueldade são muito piores do que O Poço e a estrutura de poder e obediência que se montou nesses países é quase inacreditável de tão sádica. E tão verdadeira.

  7. Todos querem explicar o filme!!! Mas será que REALMENTE não perceberam que o próprio diretor deu “a deixa” no final quando o Goreng e o Baharat estão descendo e ficam repetindo todo o tempo: A Pannacota é a mensagem! Depois a menina é a mensagem! Logo o importante é a mensagem!!! Então pra cada um que assistiu o filme, o que realmente é importante pra você? Como diria Trimagasi, é ÓBVIO que o que importa pra você É A MENSAGEM!!! A MENSAGEM que o filme passou pra cada um de nós!!! Filme perfeito…

    • Arrasou no comentário.. é exatamente isso a proposta do diretor do filme.. fazer com q cada um pense na mensagem levando em consideração, o que realmente é importante para cada um de nós! 👏🏻

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here