Contato Visceral | Crítica do filme de terror da Netflix

- Publicidade -

Outubro tem sido o mês do terror na Netflix, e entre diversos filmes e séries disponibilizados do gênero no mês, o serviço adicionou “Contato Visceral”. Vale lembrar que, o filme já foi exibido fora do Brasil, em alguns cinemas norte-americanos e no Festival de Sundance, onde fez um barulho suficiente para chamar nossa atenção.

Armie Hammer e Dakota Jhonson são os responsáveis para trazer a trama de um suspense dirigido por Babak Anvari. De fato, o diretor iraniano já havia feito um ótimo trabalho em “Under The Shadow”, e isso provavelmente chamou a atenção do serviço de streaming.

- Publicidade -

Contato Visceral
Contato Visceral

Com um elenco forte nas mãos, o terror parece promissor e chamativo, mas escorrega nas principais decisões.

A história de Contato visceral

- Publicidade -

Hammer interpreta Will, um jovem que abandonou a faculdade e agora trabalha como barman na violenta Nova Orleans. Ele mora com a estudante de pós-graduação inglesa Carrie (Dakota), mas está apaixonado de forma secreta por Alicia, uma linda mulher que frequenta seu bar, ao lado do namorado Jeffrey.

Uma noite, uma briga no bar é filmada por alguns garotos menores de idade, mas um deles, deixa o telefone para trás. Ao descobrir como desbloquear, ele começa a receber mensagens sinistras. A partir daí, ele e Carrie são arrastados através de um portal, para um mundo de horror.

Vale a pena assistir ?

Inicialmente, Contato visceral é extremamente chamativo e audacioso. Porém, conforme os minutos que passam na trama, Anvari não consegue prender a atenção do espectador. O diretor usou a influência vista no J-Horror e a famosa qualidade e tecnologia de celulares.

Isso já tínhamos visto em seu primeiro longa, que consegue reproduzir com maestria de forma interessante e sutil. Porém, o mesmo não ocorre no mesmo longa, os sustos não conseguem manter por muito tempo.

O final que tinha tudo para ser misterioso, não consegue agradar, traduzindo em mais um longa mediano… e que diga-se de passagem, tinha tudo para se tornar em um dos melhores filmes de terror do ano.

Material e oportunidade desperdiçado.

Nota: 3/5

Assista ao trailer:

- Publicidade -

Diretor: Daniel Sánchez Arévalo
Estrelas: Zazie Beetz, Dakota Johnson e Armie Hammer
Tempo de execução: 94 min
Gênero: Terror

Sinopse oficial da Netflix:
Depois de encontrar um celular perdido em uma briga, um barman de New Orleans começa a receber mensagens sinistras e a perder a sanidade pouco a pouco.

Leia também:

+A Lavanderia | Crítica do filme da Netflix com Meryl Streep

- Publicidade -

Comentários
Carregando...