Audiência do streaming ultrapassa TV paga nos Estados Unidos

Audiência do Streaming ultrapassou da TV paga, pela primeira vez

- Publicidade -

A popularidade que o streaming tem ganhado nos últimos anos ao redor do globo impressiona, e pela primeira vez na história este nicho teve mais audiência do que a TV por assinatura nos Estados Unidos. De acordo com a Nielsen, as plataformas de streaming alcançaram um público maior que os canais fechados nos EUA no último mês.

- Publicidade -

Segundo o relatório apresentado pela companhia, 34,8% dos norte-americanos utilizaram o serviço de streaming no último mês, apresentando um total de 190 bilhões de minutos assistidos. Enquanto isso, os canais fechados atingiram cerca de 34,4% do público, já a TV aberta ficou em último, com 21,6%.

Levando em consideração esses dados, fica fácil compreender o motivo pelo qual a Paramount+ pagou cerca de US$ 250 milhões por ano apenas para exibir os jogos da Champions League nos EUA. Esse contrato é aproximadamente US$ 100 milhões superior ao firmado anteriormente.

O motivo da plataforma desembolsar uma quantia tão elevada é a busca incessante pelo aumento da sua base de assinantes, ampliando assim o consumo das suas produções. Sendo que, sabendo do crescimento assustador desse mercado, a Disney e a Amazon também estavam negociando os direitos de transmissão da Liga dos Campeões.

- Publicidade -

Relatório da Nielsen mostra crescimento do Streaming

Em seu relatório, a Nielsen também aponta que a falta de conteúdos atrativos foi um dos principais motivos pelo qual a TV fechada foi ultrapassada pelas plataformas de streaming. Contudo, o cenário pode mudar em breve, já que a temporada 2022/23 da NFL está prestes a começar e a competição conta com um público cativo enorme na TV paga.

- Publicidade -

Publicidade

Ainda assim, a liga profissional de futebol americano também lançou o seu próprio serviço de transmissão, o NFL+, que está no ar desde o dia 4 de agosto.

Apesar da recente grande queda em seu número de assinantes, a Netflix continua em primeiro lugar quando o quesito é audiência nos Estados Unidos. Aproximadamente 34,8% dos norte-americanos acessaram o serviço em julho, sendo que a companhia somou 8,8% do consumo total.

Essa migração cada vez maior do público para o consumo de serviços através da internet não se limita apenas às plataformas de streaming. No Brasil, por exemplo, onde a jogatina em estabelecimentos físicos ainda é proibida, a população encontrou nos sites com bônus de cassino online uma alternativa excelente de entretenimento.

- Publicidade -

Já que nessas plataformas, o usuário tem acesso a uma grande variedade de jogos, assim como a promoções exclusivas, sendo que algumas delas garantem que o jogador se divirta por algumas rodadas gratuitamente, testando assim o serviço oferecido antes de aportar qualquer quantia.

TV vai acabar

Streaming vs TV
Imagem: Divulgação/

- Publicidade -

 Como dito anteriormente, nos últimos meses a Netflix levou um verdadeiro tombo ao perder mais de 970 mil assinantes. Contudo, as estimativas iniciais da companhia eram de uma perda superior: cerca de dois milhões de usuários.

E, mesmo com a queda significativa em seu número de assinantes e a crescente concorrência, a empresa ainda é a número um do streaming mundial. Tirando proveito do seu lugar de destaque, recentemente o co-CEO da companhia, Reed Hastings, fez questão de apontar que a TV deve acabar nos próximos anos. “Todo mundo está aderindo. É definitivamente o fim da TV linear nos próximos cinco, dez anos”, afirmou Hastings.

O conteúdo da Netflix é o seu principal diferencial, e apenas nos Estados Unidos, a série original da companhia, Stranger Things, somou mais de 18 bilhões de minutos assistidos, enquanto The Umbrella Academy e Virgin River combinadas acumularam 11 bilhões de minutos. Além disso, alguns filmes originais impulsionaram a audiência da Netflix nos últimos meses, como The Sea Beast e The Gray Man, que juntos somaram 5 bilhões de minutos.

- Publicidade -