Publicidade

A verdade por trás A garota de Oslo, série da Netflix

Conheça a verdade por trás de A garota de Oslo

A garota de Oslo é a nova série de suspense política da Netflix. Dirigida por Kyrre Holm Johannessen e Ronit Weiss-Berkowitz, a série revela uma visão arrepiante e catártica de um mundo sob constante terror. 

Publicidade

Embora sua acusação contra o terrorismo ressoe nas profundezas de uma região em busca do milagre da paz. A série também faz perguntas pertinentes sobre a guerra contra o terrorismo. Assim, uma menina norueguesa de férias em Israel se aventura em direção ao vale do Sinai com dois irmãos israelenses. 

No entanto, a história da uma virada sombria quando uma tribo assassinada os sequestra. Sua mãe desesperada embarca em uma missão para salvar a menina. Gradualmente, A garota de Oslo mergulha em um vórtice da política internacional suja.

A série pode ser um deleite para os sentidos, contudo, se você se perguntar qual a verdade por trás de A garota de Oslo, mostramos todos os detalhes.

Publicidade

A garota de Oslo é uma história verdadeira?

Em certo ponto, a série poderia ser parcialmente baseada em uma história verdadeira. Embora os detalhes da história sejam uma espécie de dramatização ficcional, a história se encaixa muito bem na realidade. 

Publicidade

Contudo, os criadores da série Kyrre Holm Johannessen e Ronit Weiss-Berkowitz mesclaram a história de realidade com ficção. A parte realista fica por conta do violento pano de fundo geopolítico do oriente médio, o que mantém a história envolvente.

Durante a abertura de A garota de Oslo, a voz de Bill Clinton é ouvida. O ex-presidente americano diz: “Hoje, testemunhamos um ato extraordinário em um dos dramas marcantes da história”. Esse é o discurso que deu início ao acordo de Oslo em 1993. 

A conversa em Oslo é onde Alex encontra Arik e Layla na história. O acordo em questão foi um processo de paz entre o Governo de Israel a organização para a libertação da Palestina catalisado pelas nações unidas. O objetivo era cumprir os direitos dos palestinos à autodeterminação.

Publicidade

No entanto, as negociações de paz acabaram em um beco sem saída. A cúpula de Camp David de 2000, em parte foi um fracasso. Isso tornou improvável que os acordos de Oslo encerrassem o conflito israelense-palestino. 

Durante a segunda intifada – um levante palestino, os militares israelenses recuperaram grande parte das regiões designadas como sob controle palestino. Assim, o fantasma dos acordos de Oslo assombra a série conforme o passado se infiltra no presente.

Publicidade

A história se reflete em eventos reais

A garota de Oslo na Netflix
Imagem: Divulgação/Netflix

Publicidade

A história central de A garota de Oslo parece refletir eventos reais. Em Março de 2013, alguns relatos na mídia dão conta de que um cidadão norueguês foi sequestrado pelo ISIS. De acordo com alguns relatórios, enquanto viajavam para Dahab, o veículo foi interceptado por artilheiros beduínos. 

O cidadão foi identificado como Ingvild Selvik Ask, um pediatra de 31 anos. Os militantes pediram a libertação de seus membros das prisões israelenses em troca da vida de Ask. Contudo, ambos os reféns foram libertados pelos patrões militantes. 

Além disso, podemos dizer que vários fatores políticos apresentados na série parecem realmente realistas. No início da história, também ouvimos a menção do ex-primeiro-ministro israelense Bejamin Netanhyahu. Os ministros de seu gabinete foram totalmente contra os erros do ministro em libertar prisioneiros. 

Um dos personagens vistos em A garota de Oslo, chega a afirmar que, 40% dos prisioneiros libertados, voltaram a ser militantes.

Publicidade

Apesar de nunca ter atestado tal estimativa, Netanyahu de fato libertou 104 prisioneiros palestinos. Isso foi parte de um acordo de paz, um movimento que incitou indignação de grande parte do país. Tentando acompanhar tal fato, a série considera todos os aspectos e permanece presa à realidade volátil da bacia do Rio Jordão. 

Dessa forma, concluímos que, apesar de ser uma história de ficção, o período e ambiente em que a série é retratada, é real. 

Então, o que você achou de A garota de Oslo na Netflix? 

Publicidade

Certamente, você também vai gostar:

>The Witcher 3 ª temporada na Netflix: Data de estreia, Spoilers e Mais

Aliás, não deixe de acompanhar o Streamings Brasil, também via Youtube. 

Publicidade